quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Estereótipos irritantes



É fato: todo GM/DM com certa experiência já teve um PC estereotipado em sua campanha.

Não estou me referindo aqui a conceitos, arquétipos ou classes de personagens, que são ferramentas úteis e que ajudam a definir um personagem, mas de tipos de personagens que são tão lugar-comum que chegam a ser irritantes e que não possuem outras qualidades ou características além do estereótipo em si.

Há vários exemplos comuns, como o bárbaro grande, forte e burro, o gnomo cientista louco, o contrabandista amoral e egoísta, o street samurai caladão e clone do Wolverine, o vampiro emo chorão, o ex-militar e resolve tudo no tiro ou na porrada, o personagem amnésico, o guerreiro que usa katanas (como se fosse a melhor espada do mundo - longe disso), etc.

Para mim, um dos estereótipos mais irritantes é o do anão guerreiro caótico, bêbado, ganancioso, brigão e fanfarrão. Com uma única e raríssima exceção, todo PC anão que tive em minhas campanhas seguia esse estereótipo ridículo à risca. A coisa ficou tão insuportável e comum que hoje proíbo esse tipo de PC nas minhas campanhas.

Eu sinceramente não sei de onde surgiu esse conceito. Alguns outros estereótipos insuportáveis (como o drow renegado bonzinho) têm origem clara; o anão despirocado, para mim, é um mistério.
.
Ora, os anões de fantasia são plagiados inspirados nos anões de Tokien, e não têm nada a ver com o estereótipo acima. Pelo contrário - tanto nas obras do professor quando na maioria dos livros de RPG de fantasia medieval (por exemplo, Player's Handbook de AD&D, GURPS Fantasy Folk, Warhammer Fantasy, etc.) eles são descritos como ordeiros, leais, honrados, possuidores de forte senso ético e avessos ao caos e à anarquia.

Talvez o anão caótico tenha surgido, originalmente, como meio de diferenciar um personagem do restante da raça. Mas se foi isso, acabou tendo efeito justamente contrário ao tornar-se um estereótipo irritante.

Concorda? Discorda? Possui algum estereótipo em particular que você odeia? Fique à vontade para fazer seus comentários.






Nenhum comentário:

Postar um comentário